Linhas de pesquisa

Resumo gráfico da minha pesquisa:

1. Ecologia do movimento animal

Nesta linha de pesquisa, trabalho principalmente com colegas do Laboratório de Ecologia do Movimento e Populações da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Brasil). Meu principal interesse é entender o efeito de fatores intrínsecos (por exemplo, sexo, personalidade) e extrínsecos (por exemplo, temperatura ambiental, estrutura do habitat) nos padrões de movimento dos vertebrados, para aplicar os resultados para melhorar os planos de conservação. Para entender o efeito desses fatores nos padrões de movimento dos animais, avalio diferentes aspectos da ecologia do movimento, como seleção de habitat (em diferentes escalas), tamanho e forma da área de vida, trajetórias, classificação de padrões de movimento (através do net squared displacement), etc. Em seguida, uso abordagens integrativas, como modelagem de equações estruturais, para auxiliar na compreensão do efeito de diferentes fatores em diferentes métricas de movimento.

2. Biologia térmica

A biologia térmica está diretamente relacionada à aptidão animal e também condiciona o comportamento animal, fortemente em animais ectotérmicos, mas também notadamente em animais endotérmicos. As mudanças climáticas nos impelem a entender o papel da temperatura ambiental como impulsionador do comportamento animal e como podemos usar esse conhecimento para melhorar a conservação animal neste cenário de mudança. Eu estudei biologia térmica e termorregulação de répteis por mais de 10 anos, aprofundando sobre o efeito de habitat e variáveis climáticas e realizando meta-análises para generalizar padrões de termorregulação. Atualmente estou principalmente interessada na ligação entre a biologia térmica e a ecologia do movimento de répteis e mamíferos, e encontrar formas de prever e mitigar o impacto das alterações climáticas e da modificação do habitat nas populações animais.

3. Conservação de animais

Em colaboração com várias colegas e instituições da Espanha, Brasil, Inglaterra e Estados Unidos, estou realizando pesquisas para melhorar os planos de conservação de muitas espécies animais, como tamanduás gigantes, raposas, macacos titi, diversas espécies de lagartos e tartarugas marinhas. Além disso, supervisiono um projeto para a redução de atropelamentos de vertebrados no sul da Espanha.

4. Comportamento antipredatório

Como ecologista comportamental, também estudei vários aspectos do comportamento antipredatório de anfíbios e répteis durante anos. Os principais resultados foram relacionados à capacidade dos lagartos de discriminar e responder a sinais químicos de cobras predadoras e a capacidade rápida de algumas espécies, como o lagarto de Ibiza, de adquirir esse comportamento. Atualmente, só realizo pesquisas neste tópico para supervisionar alunos e alunas interessados.